Receba conteúdos EXCLUSIVOS sobre Marketing Digital (é grátis!)

CreativeBizz

Agência de Marketing Digital: por que sua empresa precisa de uma

Escolha de uma agência de marketing digital

Você tem um negócio. Planejou e cuidou muito bem da parte interna da sua loja, processos e produtos. Agora, é só abrir as portas e começar a vender.

Quando se trata de um negócio físico, o fator localização é fundamental. O local aonde sua porta estará aberta é fator decisivo para o sucesso do empreendimento. Já quando estamos lidando com negócios virtuais ou que possuem um canal de vendas online (como, por exemplo, sites institucionais com pedidos de orçamento ou contatos), você não tem uma porta, mas sim várias. Cada uma fica de frente para determinada rua, como a Rua do E-mail Marketing, Rua do Google Adwords, Rua do Facebook. Ou seja: por cada uma, poderão entrar compradores.

Mas abrir portas tem custos envolvidos e nem sempre os visitantes geram vendas. Isto muda de acordo com cada negócio. Uma estratégia matadora para uns pode não converter em lucro para outros. Por isso, o papel de um estrategista, preferencialmente uma agência de marketing digital, que tenha um bom conhecimento de mercado, com resultados práticos, é fundamental. Afinal, além de saber quais portas abrir, ele vai poder oferecer outras portas que você nem imaginava, pelas quais já poderiam estar entrando milhares de novos visitantes, mas que você mantinha fechadas.

Exemplos práticos

Caso 1

Em uma empresa que comercializa cofres e portas blindadas, decidiu-se abrir um novo canal para trazer novos compradores. A solução foi criar um site institucional.

Mas ter apenas um site não traz novos negócios. É preciso ter visitantes. Para isso, a estratégia, então, foi o SEO, ou seja: estar bem ranqueado em mecanismos de busca. Afinal, para quem deseja comprar um cofre, nada mais natural que procurar por este item no Google, pois nem todo mundo conhece uma loja de referência para esse tipo de produto.

No Google, digitando “cofres”, vemos vários resultados, de várias cidades. A primeira ação do usuário é especificar a busca por região. Ou seja: a busca ficaria “cofres Curitiba” ou “portas blindadas Curitiba”, por exemplo. Estes termos são viáveis e relativamente fáceis para estarem bem ranqueados, para quem entende do assunto. Três meses depois, esse canal foi responsável por gerar uma grande quantidade de contatos por dia, com grande índice de conversão. Afinal, quem procura um determinado item no Google, geralmente, tem um grande interesse no mesmo (inclusive, de comprá-lo).

Caso 2

Para uma loja de jogos online para computador, o fato de estar vendendo na internet permite uma compra impulsiva pelo consumidor, com o apelo de ele poder utilizar na hora o jogo que tanto desejou.

Mas ter apenas um site novo não traz novos negócios. É preciso ter visitantes. Neste caso, uma das estratégias foi utilizar programa de afiliados com blogueiros e divulgadores de vídeos. Afinal, em uma compra por impulso, o ápice de interesse do comprador tem boas chances de ocorrer no momento em que ele vê um vídeo com pessoas comentando sobre o jogo. Estar a um passo da compra, neste momento, é uma grande sacada.

Com ferramentas prontas para administrar o comissionamento, você estimula vários blogueiros a anunciarem o seu site e receberem uma comissão na venda. Para a sua empresa, é um ótimo negócio, pois você só paga quando recebe. Um ano depois, 60% das compras vêm desse canal.

Caso 3

Vender acessórios femininos é uma boa oportunidade. Mas ter apenas um site não traz novos negócios. É preciso ter visitantes.
Em um mercado relacionado à moda, nada melhor que sempre conseguir apresentar as novidades para as compradoras, com imagens bem feitas. Para isso, enviar um e-mail marketing com certa frequência pode trazer muitas compras.

Mas, para enviar o e-mail, é preciso ter para quem destiná-lo. E se engana quem acha que colocar um campo de newsletter no site é suficiente. Há várias formas de se multiplicar esses cadastros. Exemplos?

Neste caso em especial, aplicando-se uma série de melhorias como destacar a chamada para newsletter, posicionar de uma forma mais destacada e exibindo no momento em que o usuário se interessa, conseguiu-se uma base consolidada de 200 mil e-mails, para os quais se pode enviar campanhas, periodicamente. Com isso, a empresa passou a gerar 40% do seu faturamento a partir do e-mail marketing.

Marketing com foco em resultado

Mas apenas ter um site não traz novos negócios?

Como vimos, não! A grande maioria das empresas se engana, achando que o site, por si só, trará vendas. Ele precisa de visitantes para gerar novos negócios. Caso contrário, de nada adianta.

É nessa hora que o Marketing Digital entra em cena, com a função de trazer usuários. Ou abrir as portas e fazer com que as pessoas entrem, como comentamos. Afinal, de nada adianta uma excelente loja, sem visitas. Um trabalho bem realizado nessa área tem o poder de fazer de um negócio com poucas vendas multiplicar seu faturamento.

Não ache que simplismente criar uma fan page no Facebook e uma página no Twitter consiste em Marketing Digital. Este mundo é extremamente complexo, com mudanças rápidas e que exigem táticas bastante focadas para certos negócios.

Por isso, tenha especialistas de verdade, de preferência agência de marketing digital, a sua volta.

 

Algumas táticas usadas por uma Agência de Marketing Digital

SEO (Search Engine Optimization)

Estar bem ranqueado organicamente (sem pagar por isso), na primeira página, quando alguém busca algo no Google, ou em outras ferramentas de busca. Este é o objetivo do SEO. Ele pode representar um grande número de visitas e, dependendo do negócio, ter uma excelente taxa de conversão.

Adwords

Para quem não possui um SEO forte ou deseja alavancar campanhas rápidas, o AdWords pode ser uma boa opção. Trata-se da ferramenta de anúncios pagos no Google, na qual você paga por clique e aparece na primeira página (nos espaços próprios para isso). Porém, fique atento ao custo, pois o ROI (Retorno Sobre Investimento) está diminuindo e, muitas vezes, não compensando, devido à concorrência. Saber definir as palavras-chaves a serem utilizadas é fundamental.

Google Shopping e Buscapé

Comparadores de preço são uma ótima opção para commodities. Quando não existe diferença entre os produtos oferecidos pela sua empresa e seus concorrentes, o preço ganha força como diferencial. Nestes casos, os usuários utilizam os comparadores, como o Google Shopping e o Buscapé, para, de forma fácil, escolher onde comprar. Nestas opções, o custo também é por clique, mas o ROI costuma ser mais interessante que o do AdWords. Entenda mais sobre o Google shopping.

Inbound Marketing

O Inbound Marketing (ou Marketing de Conteúdo) pode ser uma excelente estratégia. Nela, sua empresa se posiciona como um consultor, ajudando o comprador com conteúdo útil e relevante, fazendo com que a compra seja feita naturalmente. É uma grande opção para agregar valor.

E-mail marketing

O bom e velho e-mail marketing já foi questionado, mas sua taxa de retorno ainda pode ser muito interessante, em alguns casos. Há casos em que o ROI chega a mais de 4.000%. Para isso, um bom mailing, voltado especificamente para o seu negócio, é essencial. Cuidado com listas compradas! Além de não trazerem retorno, a alta taxa de rejeição pode prejudicar seu domínio, fazendo com que ele seja considerado um emissor de spam. Aposte também em títulos apelativos, segue um excelente artigo sobre títulos perfeitos para E-mail marketing.

Afiliados

Pagar uma comissão somente quando você vende é uma ótima opção para qualquer negócio. Na internet, existem ferramentas que permitem reconhecer quantas vendas são realizadas a partir de um determinado afiliado (Ex.: blog). Esta estratégia pode funcionar muito em compras por impulso, bem como quando envolve formadores de opinião.

Vídeos

Para empresas que trabalham com conteúdo e cursos, haver um canal de vídeos pode ser uma grande sacada. O vídeo passa credibilidade e tangibiliza melhor alguns aspectos, além de poder ser uma oferta grátis para quem vende conteúdos educacionais.

Redes sociais

Apesar de recentes e questionadas, com razão, no Marketing Digital, existem mercados em que elas funcionam muito bem. Principalmente quando o produto tem apelo criativo e diferente, o que causa sempre um impacto viral. O fato de ser para públicos específicos e de nicho, especialmente com caráter jovem, facilita também a disseminação natural da informação.

Remarketing

Sabe aquela propaganda que parece lhe perseguir? Não é somente impressão sua! Ela, realmente, está lhe seguindo. Isto é remarketing. Ao entrar em um site, ele marca você e, ao acessar blogs, redes sociais e portais, os anúncios que irão aparecer serão do site em que você entrou. Pode ser uma boa ferramenta para recuperar vendas que se perderam por algum detalhe, além de fixar sua marca junto ao cliente. Veja este excelente artigo que explica mais sobre remarketing. Veja esse excelente artigo que explica mais sobre Remarketing.

Ainda resta alguma dúvida?

Fica claro que, apesar de se chamar Marketing, o digital tem um papel tão ou mais importante que o offline. Enquanto no meio físico você fica limitado ao ponto escolhido, no mundo digital o público está a apenas um clique de chegar à sua loja. Basta você saber quais portas abrir. Esses pontos são abordados também no curso de e-commerce em Curitiba.