Receba conteúdos EXCLUSIVOS sobre Marketing Digital (é grátis!)

E-mail marketing

Como aumentar a taxa de abertura e o seu sucesso com email marketing

Taxa-Abertura-Email.jpg

Desde que o meio digital tomou toda essa proporção e invadiu a vida das pessoas, muitas novas formas de comunicação surgiram. Pense em como você usa o o WhatsApp, o Skype ou redes sociais como o Facebook... Entre todas as alternativas virtuais, porém, uma é unanimidade: o email.

Você conhece alguém que não tenha email? Difícil, não?! Até porque atualmente praticamente tudo o que fazemos na internet necessita de email!. 

Existem hoje mais de 4,6 bilhões de contas de email no mundo todo, indica um estudo do The Radicati Group. Esse número tende a aumentar cerca de 20% até 2019, batendo a marca dos 5,5 bilhões de contas.

Por isso é que o email marketing é uma estratégia de marketing digital tão popular - e eficiente. É uma boa maneira de se conectar com seus consumidores e potenciais clientes, independente se você quer nutri-los com conteúdo, estreitar relacionamento ou enviar anúncios.

Mas para que tudo funcione, é necessário que... o usuário abra seu email. Claro, apenas assim você conseguirá transmitir a mensagem que deseja. Esse é um desafio para você? Pois saiba que é um desafio para empresas e profissionais de marketing do mundo todo.

Aumentar as taxas de abertura e de cliques é uma tarefa que gera dores de cabeça em muita gente. Afinal, conseguir se destacar em meio a uma caixa de emails lotada e gerar o interesse do usuário não é lá algo tão simples assim.

Para se dar bem nessa disputa por atenção e potencializar os seus negócios, separamos algumas dicas que você pode começar a implementar imediatamente na sua estratégia de email marketing para que seus índices tenham um desempenho cada vez melhor.

 

Título de respeito!

Assim como julgamos um livro pela capa, também julgamos um email pelo seu título. Essa é a primeira coisa que será vista pelo usuário que o receber na caixa de entrada, então é o que deve ganhar sua atenção para fazer com que clique no conteúdo que você enviou.

Titulo-Email-Marketing.jpg

O título ou assunto do email deve ser atrativo e realmente chamar a atenção. Como você vai fazer isso, vai depender dos seus objetivos, do posicionamento da sua marca e do público com o qual você está trabalhando. Mas deve ser um título de respeito!

O recomendado é que você explore valores como curiosidade e relevância, além de deixar claro logo de cara o porquê daquele email ser interessante para a pessoa - seja porque tem a solução para um problema, acaba com uma necessidade ou lida com algum desejo.

Outra dica é ser o mais direto possível, não se alongando muito e utilizando um número baixo de palavras. Alguns estudos citam algo em torno de oito palavras ou 50 caracteres.

Nesse outro post, nós explicamos mais detalhadamente como criar o título perfeito e impossível de não ser clicado. Vale a pena ler antes de enviar seu próximo email!

 

Conteúdo relevante, claro

Já não é mais segredo para ninguém que, cada vez mais, o conteúdo é rei. Sem um bom conteúdo, não tem como sua empresa ter uma estratégia de marketing digital de sucesso, que atraia mais clientes e gere mais negócios. 

Contedo-Email-Marketing.jpg

Um trabalho de mídias sociais, por exemplo, não conseguirá ter engajamento e atrair novos clientes se não tiver um bom conteúdo. O seu inbound também não funcionará se o seu blog tiver artigos rasos e desinteressantes. Da mesma forma, o SEO não funcionará... se não tiver conteúdo bom!

Com email marketing não é diferente. Os usuários estão cada vez mais críticos e exigentes, por isso é essencial que você dê uma atenção especial ao material que está enviando à sua base.

Vamos supor que você recebeu um email ruim de uma empresa qualquer: não tratava sobre algo relevante para você, não trazia nenhum artigo construtivo, não tinha nada novo. Apenas queria te vender um produto de qualquer maneira.

É bem possível que você passe a não abrir mais os próximos emails dessa empresa ou os classifique como spam, já que não servem para você. Resumo da história: perdeu um potencial cliente.

Para evitar que isso aconteceça com a sua empresa, coloque-se no lugar do seu público e analise se o que você está disparando para as suas listas é, de fato, importante e interessante. 

 

Lista de qualidade e segmentada

Mas é claro que ter o melhor email do mundo não adianta muito se... for enviada para as pessoas erradas. Ele precisa atingir o público para qual ele foi desenvolvido, caso contrário o esforço para fazer um email com conteúdo de qualidade e atrativo não valerá de muita coisa.

É por essa razão que você deve prestar muita atenção à segmentação qualidade da sua lista de emails. Sem um mailing direcionado especificamente para aquilo que você precisa, a qualidade do trabalho inevitavelmente será afetada.

Mailing-Email-Marketing.jpg

Porque não adianta planejar uma estratégia de emails incrível se você não tiver em mãos leads minimamente qualificados - seja com o perfil que você precisa, as necessidades, condição financeira, localização geográfica, etc. 

É como enviar emails para uma lista basicamente de usuários do nordeste… para fazer a divulgação de um evento que você está organizando em Porto Alegre. Ou vice-versa.

Claro que é um exemplo extremo e grotesco, mas ilustra o que muitas pessoas ainda fazem hoje em dia: enviam emails para públicos errados e que não têm interesse naquilo que mandou.

Basta olhar para a sua caixa de spam ou até mesmo para a caixa de entrada. É bem possível que você encontre dúzias de emails desnecessários e que você não vai abrir. Simplesmente porque você não é o público daquele negócio.

Por isso, segmente o máximo possível suas listas de acordo com a sua campanha. E limpe sua base, excluindo aqueles destinatários que não estão consumindo sua informação.

Quando enviar? Eis a questão

Uma das dúvidas comuns de quem trabalha com email marketing e quer melhorar os resultados obtidos com essa estratégia é quando enviar os emails. Porque você sabe, e talvez tenha descoberto da pior maneira, que não basta finalizar o conteúdo e encaminhá-lo para a sua base a qualquer hora.

Enviar-Email-Marketing.jpg

Não dá pra apertar "enviar" em um momento aleatório do dia e esperar que suas métricas bombem "do nada". Tudo tem um motivo - inclusive o horário em que você contata seus leads e clientes.

Lembre-se que seu público pode não estar o dia todo na internet e checando a caixa de entrada. Então, primeiramente, conheça o comportamento dessas pessoas e tente identificar em que momentos a abertura é maior. Não deixe de fazer testes A/B e analisar as métricas!

Se você enviar o email marketing quando seu público estiver conectado, a probabilidade dele ser aberto é maior que mandar durante a madrugada ou enquanto está no trabalho. 

Eis algumas possibilidades a serem testadas, de acordo com o seu alvo:

  • Início da manhã: assim que o dia se inicia, no período das 6h às 10h, muitas pessoas têm o hábito de ver o que está acontecendo no mundo e checar a caixa de entrada. Pode ser uma boa opção disparar seu conteúdo nesse período para aproveitar a oportunidade.
  • À noite: após o expediente, quando possuem horário livre, vários perfis de usuários costumam ficar conectados à internet - e ver os emails. Para negócios que tratam com consumidores finais (B2C), esse horário pode ser uma boa alternativa para explorar.

Pense no mobile

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 80,4% dos usuários brasileiros acessam a internet por meio de celulares. Pela primeira vez na história, os dispositivos móveis ultrapassaram o total de acessos via computador, que é de 76,6%. 

Esses números são motivos suficientes para que você dê uma atenção especial ao público mobile. Afinal, pode ser que esse seja o seu maior público!

Email-Marketing-Mobile-Celular.jpg

Desta forma, procure sempre ter emails responsivos para que todos os usuários da sua base possam acessar o conteúdo sem problemas. Porque ninguém merece ter que ficar dando zoom para tentar ler letrinhas mínimas e entender o que você queria dizer.

Pense também em quem não possui uma conexão tão boa ou quem opta por não abrir imagens. Tenha uma versão em texto para evitar que o usuário simplesmente não consiga acessar o conteúdo.

Porque, assim como no caso do conteúdo, basta enviar um email ruim para que todo o trabalho planejado seja comprometido e suas mensagens sejam encaminhadas automaticamente para o lixo eletrônico.

Como escrever certo?

Ninguém quer abrir um email e se deparar com alguém quase que ordenando que ela faça algo. A linguagem incisiva e imperativa, utilizada principalmente na publicidade tradicional, é cada vez mais um “repelente” de clientes. 

Quem ainda acredita cegamente nessa abordagem é bem capaz de ainda utilizar máquinas de escrever para desenvolver as campanhas. Ficou no passado, está ultrapassado e perdendo muitas oportunidades!

Escrever-Email-Marketing.jpg

Não dê ordem, não mande, não queira vender a todo custo. Desta forma você está, na verdade, criando uma barreira junto ao seu público… e não atraindo-o! Isso vale tanto para o conteúdo do email quanto para o seu próprio título/assunto!

Para se aproximar do seu leitor e aumentar as chances do seu objetivo ser alcançado, a recomendação é que você escreva de uma forma amigável e mais próxima possível do usuário. 

O seu público-alvo é mais jovem? Você tem a liberdade de ser mais descontraído para entrar nesse universo sem maiores conflitos. É mais feminino? Utilize uma linguagem compatível e encontre elementos que podem ser explorados. Masculino? Adapte-se da mesma forma...

Independente de qual seja esse seu cliente, busque essa aproximação e cause uma identificação. Caso contrário, essa pessoa pode optar pelo seu concorrente que foi mais amistoso e se mostrou mais atencioso. 

 

Trate pessoas… como pessoas

A automação de marketing é, sem dúvida, uma ferramenta preciosa para todo mundo que trabalha com marketing digital e permite que mágica seja feita. Mas a automatização deve parar por aí, no processo. Jamais leve esse aspecto para o que é visto - nesse caso, enviado - ao seu público!

Não mande emails que mais parecem que foram escritos por um robô - e feitos para um robô. Estamos falando com pessoas, afinal das contas.

Como citado anteriormente, tente ser o mais próximo possível do seu usuário. Tratá-lo pelo nome, por exemplo, é algo simples e que ajuda bastante no desenvolvimento desse vínculo. Outra recomendação é criar um diálogo, escrever o email como se fosse uma conversa mesmo.

De novo... coloque-se no lugar do seu consumidor ou potencial cliente e veja se aquele material que você está compartilhando é o que te atrairia e faria ter um tipo de relacionamento com essa empresa - seja continuar acompanhando os emails, seja convertendo em vendas.

Caso contrário... você já sabe: email na lixeira, cliente perdido.

 

Diga não ao spam

Todo mundo sabe o quão chato é receber spam na caixa de entrada e ter que ficar apagando dezenas de emails inúteis periodicamente. Mas quando a coisa muda de figura e é hora de ser o emissor, não mais o destinatário dos emails, muitos profissionais parecem esquecer do infortúnio que é ser alvo de spammers.

Não seja uma dessas pessoas, não seja visto pelo seu público como um emissor de spam e alguém que incomoda.

Spam-Email-Marketing.jpg

Primeiro, evite enviar uma grande quantidade de emails para a sua base. Especialmente se esses emails são apenas anúncios ou conteúdos de baixa relevância para o público. Priorize a qualidade à quantidade sempre - isso vale para o seu mailing também.

No entanto, mesmo não sendo um spammer profissional, por vezes o seu email correto e útil é classificado como spam. É bastante comum, ainda mais em tempos em que os filtros estão cada vez mais refinados e seletivos.

Para diminuir a chance desse problema te atingir, evite algumas práticas que são facilmente colocadas no balaio de spam. A principal delas é sobre o título do email em si, que não deve conter palavras como “grátis”, “promoção”, conter caixa alta ou pontuações exageradas.

Ao invés de fazer algo como:

PROMOÇÃO CURSO DE MARKETING DIGITAL! Aprenda tudo e ganhe mais $$$

Você poderia pensar em uma opção mais sutil e adequada às diretrizes. Talvez algo como:

Aprenda mais sobre marketing digital e tenha mais resultados na internet

É um exemplo simples, claro. Mas exemplifica o que fazer e o que não fazer na hora de criar seus emails para não cair no spam.

 

Não compre, tenha sua própria lista

A essa altura do campeonato já não deveria ser mais necessário bater nessa tecla. Se tem algo que já foi dito e repetido à exaustão por aí é que não se deve comprar listas. No entanto, ainda é possível encontrarmos adeptos do “movimento comprador” por ser mais rápido e fácil.

Mailing-Comprado-Email-Marketing.jpg

Exatamente, vários marqueteiros mundo digital afora ainda apostam em uma base desqualificada e aleatória para trabalhar. E o pior: esperam ter bons resultados oriundos dessa prática...

É um tiro no pé, já que você estará enviando emails para pessoas que não querem recebê-los e, provavelmente, nem conhecem sua empresa, produto ou serviço. A chance de conseguir algum retorno com esse investimento isso é mínima. É cilada.

Sem falar que você estará arruinando sua reputação e afastando potenciais clientes que poderiam chegar até você pelos meios certos.

Evite a fama de “intruso”, prefira capturar seus leads da forma correta - ainda que demore mais. Utilize formulários, ofereça materiais para download, crie assinatura de newsletter... Enfim, faça a coisa do jeito certo que dá certo!

Afinal, é muito melhor enviar email para 500 pessoas "certas", com alguma qualificação e que irão interagir com a sua empresa, do que mandar para 5 mil contatos comprados e que não irão te retornar nada.

 

Hora de colocar em prática

Se os seus emails não estão tendo o desempenho que você esperava, seja para qualificar seus leads ou transformá-los em clientes, ainda não é hora de se desesperar. O primeiro passo rumo ao sucesso você já deu: colocou as mãos na massa, tentou e viu o que não está funcionando tão bem.

Agora é hora de aprimorar o que está sendo feito, melhorando alguns pontos para que os objetivos que você traçou sejam alcançados. Alguma das dicas passadas se enquadra na sua situação? Tem algo que pode ser colocado em prática imediatamente? 

Para ter uma ideia se a sua taxa de abertura está dentro da média do mercado, entre outras coisas, o estudo Email marketing metrics benchmark study realizado pela IBM faz um benchmark de vários setores. É um material bem válido para se analisar.

Espero que esse post tenha te ajudado a encontrar formas de melhorar sua estratégia de email marketing. Se tiver alguma dúvida, deixe sua mensagem nos comentários abaixo.

Se gostou do conteúdo, compartilhe! Indique para amigos e dê um share nas suas redes sociais!

Um abraço e até a próxima!

Mais populares