Receba conteúdos EXCLUSIVOS sobre Marketing Digital (é grátis!)

Geração de leads

Como conseguir 140 mil e-mails de potenciais clientes

Como conseguir leads

Sem comprar lista (é obvio), nem gastar um centavo com campanhas! As 5 etapas a seguir resumem o trabalho realizado pela IloveBasketball. Esta é uma das táticas mais bem sucedidas para captar novos e-mails de leads, em pouco tempo.

Toda empresa deseja ter e-mails de pessoas interessadas para suas campanhas de e-mail marketing. Porém, conseguir leads é um dos maiores desafios do Marketing Digital.

Bom, vamos facilitar bastante o seu trabalho, então! O case da IloveBasketball conseguiu 140 mil novos leads do seu público de forma gratuita, utilizando o YouTube. Lembrando que, atualmente, o YouTube é o segundo mecanismo de busca mais utilizado na internet, perdendo apenas para o Google.

Se você consegue gerar conteúdo de interesse para o seu público, você precisa ler este artigo. Principalmente, a etapa 5, que conclui com chave de ouro esse processo.

O primeiro passo, antes de iniciar, é criar um canal para publicar os vídeos. Atualmente, o da IloveBasketball possui mais de 180 mil inscritos e mais de 1 milhão de pessoas no Facebook.

Canal Youtube

Foram três anos ajustando as iniciativas e estratégias, até chegar nos 5 passos que serão revelados.

Se você seguir essas práticas de maneira correta, também conseguirá ver seus leads aumentarem significativamente. E isto em 60 dias!

 

1. Planejamento da campanha: palavras-chave do YouTube

O primeiro passo será identificar o que as pessoas procuram sobre o seu negócio. Tenha certeza de que milhares de buscas são realizadas por potencias clientes, querendo saber sobre o assunto que você domina. O “pulo do gato” é saber quais termos são utilizados, para fazer com que seu conteúdo chegue até eles.

Nesse exemplo, internautas procuram por “Como driblar”, “Como pular alto” e “Como arremessar”.

Então, foram levantados cinco termos diferentes:

  • “Como ser um melhor jogador de basquetebol”
  • “Como driblar no basquetebol”
  • “Como arremessar no basquetebol”
  • “Como pular alto”
  • “Treino de basquetebol”

O próximo passo é inserir cada um deles no YouTube e no Google, a fim de identificar como as pessoas buscam por esses termos.

Para isso, você deve remover termos adicionais, a exemplo do “como”, deixando somente a essência do que o usuário busca. Por exemplo: “Como driblar no basquetebol”.

Com isso, você teria a seguinte lista:

  • “melhor jogador de basquetebol”
  • “driblar no basquetebol”
  • “arremessar no basquetebol”
  • “pular alto”
  • “treino de basquetebol”

A partir desse momento, você deve colocar cada termo na busca do Google ou do YouTube e ver as sugestões dadas pelo próprio autocomplete. Exemplo:

Google termos

Assim, você receberá uma lista de sugestões. Ela é baseada nas principais buscas realizadas com o termo digitado, oferecendo uma indicação de outras palavras- chave relevantes para cada termo.

Desta forma, você aumentará a sua lista e terá o direcionamento para criar um conteúdo que possui muitas buscas. Cada palavra-chave deverá gerar um vídeo, que conterá o termo nos seguintes pontos:

  • Título
  • Descrição
  • Tag do vídeo

Isso fará com que a probabilidade de o seu vídeo aparecer quando alguém buscar no YouTube aumente.

 

2. As regras mudaram: conteúdo no YouTube vale mais

Em 2014, o YouTube fez uma mudança no seu algoritmo, baseando as sugestões de vídeos muito mais no tempo que o usuário permaneceu assistindo aos mesmos, que no tempo em que o vídeo foi postado ou no número de cliques.

Portanto, agora, não se trata mais de competição de tráfego, mas sim de conteúdo.

Essa mudança na regra do jogo é uma grande oportunidade, que possibilita aos mais antenados aproveitarem esse fator.

Porém, como provemos qualidade nos vídeos, para que seus usuários gostem do seu conteúdo?

Primeiro, forneça um vídeo para cada necessidade.

No nosso exemplo, vimos como resultado “treino de basquete impulsão”. Neste caso, faríamos um vídeo específico para esse foco, entregando para o usuário exatamente o que ele busca. Desta forma, ele tende a assistir ao vídeo inteiro, dando a entender ao YouTube que seu conteúdo é de qualidade.

Segundo, seus vídeos precisam ser longos o suficiente para resolver o que o usuário busca e curtos o bastante para evitar que ele saia antecipadamente e que seu vídeo se torne “chato”.

Vídeos com três minutos de duração, geralmente, se encaixam bem nesta fórmula. Mas é importante você acompanhar, para ver se o tempo deles precisa ser ajustado.

Na questão de edição do vídeo, não complique. Geralmente, vídeos simples, feitos através do celular, recebem mais atenção dos usuários.

Outro ponto importante é manter a periodicidade dos vídeos. Se você se propuser a postar um vídeo por semana, precisará cumprir isso. Se a sua intenção for postar mais que isso, que bom! Desde que esta meta seja cumprida.

 

3. Transformando espectadores em leads

Você conhece as anotações do YouTube?

Anotação

Elas são utilizadas para passar informações e auxiliar na navegação. Com isso, você pode, por exemplo, levar seu usuário até uma landing page. Perceba que, no nosso exemplo, é oferecido um conteúdo que irá auxiliar seu usuário a “dominar seus oponentes”. Ao clicar nesse link, o usuário é direcionado para a landing page na qual a captura do e-mail será realizada.

Alguns pontos importantes nas anotações:

  • Ofereça algo de valor ao usuário, o que gera interesse
  • Utilize a palavra “gratuito”
  • Use termos que valorizem o seu material (exemplo: “dominar seu adversário”)

Para criar as anotações, é fácil. Este procedimento é feito após você subir o vídeo. Algumas configurações são possíveis, como cor do texto, do fundo e tamanho da fonte.

Só confirme se a possibilidade de criar anotações para sites externos está habilitada em seu canal.

Duas considerações importantes

  1. Regra do 10 inicial e 10 final: você faz as anotações aparecerem somente nos primeiros 10% do vídeo e nos últimos 10%. Isto permite que elas sejam exibidas em momentos importantes, mas sem prejudicar a exibição do vídeo.
  2. Regra do um: como todo CTA (call-to-action), este não é diferente. O objetivo é que exista somente uma anotação. Tanto para não prejudicar a exibição do vídeo, quanto para não atrapalhar o foco do usuário de qual ação ele deve realizar.

 

Marketing com foco em resultado

4. Tenha um CTA forte

Os usuários necessitam de direcionamento. Por isso que os CTAs fazem tanto sucesso! No nosso caso, além da anotação para clique, você pode usar os últimos segundos do vídeo para realizar um CTA verbal, solicitando explicitamente para que o usuário clique e veja a sua landing page.

Por exemplo (final do vídeo): “Obrigado por acompanharem este vídeo! Espero ter ajudado e, para que você possa avançar ainda mais nesse tema, temos um excelente material gratuito. Basta clicar agora na caixa que está aparecendo no vídeo. Divirta-se!”.

 

5. Hora da colheita

Depois de todo o trabalho, o passo 5 é a hora da colheita. Aqui é onde teremos as landing pages, com o objetivo de oferecer um material de valor para o cliente (enviado por e-mail), colhendo, assim, o contato para a lista de e-mail marketing.

Para o nosso exemplo, foi usada a seguinte landing page:

Landing page 1

 

Landing page 2

 

Perceba que são páginas simples, justamente para não distrair o usuário do seu único propósito.

Poucos campos para a coleta e o botão de ação (CTA) claro e chamativo.

Com isso, fechamos o ciclo desta campanha! Esperamos que vocês consigam implementar essas ações e tenham muito sucesso.

Gostou das dicas? Então curta ou compartilhe com seus amigos!

Fique à vontade para comentar ou deixar sua dúvida abaixo e não esqueça de se inscrever em nossa lista, para receber novidades atualizadas!

Para conhecer ainda mais táticas e se especializar, participe dos nossos cursos em Marketing Digital.

Um abraço e até o próximo post!

 Dúvidas de marketing digital