Receba conteúdos EXCLUSIVOS sobre Marketing Digital (é grátis!)

SEO Dicas de Marketing digital

Escreva para seu usuário, não para o Google!

Escreva para seu usuário, não para o Google!

Estar no topo das buscas do Google é um objetivo que empresários, marqueteiros e donos de sites de todo o mundo correm atrás diariamente. Não é para menos, tendo em vista os muitos resultados que estar nos primeiros lugares nos trazem em termos de tráfego qualificado, leads e vendas.

Se esse também é o seu caso, sabe muito bem que ter um ótimo trabalho de SEO e uma produção de conteúdo de qualidade é fundamental para chegar lá. E é exatamente sobre essa "dobradinha" que temos que conversar mais a fundo hoje. É para o seu próprio bem, acredite...

Se você se perguntou "por quê?", lá vai a resposta na lata: porque o seu conteúdo não deve ser feito pensando apenas em ranqueamento e voltado apenas para "agradar" os robôs do Google.

Porque é isso que ainda acontece na prática hoje. É bastante comum que sites publiquem textos praticamente automatizados, lotados de palavras-chave e com conteúdo extremamente raso, tendo como foco exclusivo os mecanismos de busca.

Nem é preciso dizer o quão errado isso é, não é mesmo? Afinal, quem vai consumir aquele conteúdo e será impactado por ele é o seu público-alvo - não o robozinho do Google!

De nada adianta estar em primeiro nas buscas se o seu usuário se frustrar e não ter as necessidades atendidas quando entrar no seu site e ler aquele seu texto genérico, igual a tantos outros encontrados na internet.

Isso sem falar que, com as recorrentes atualizações, o Google tende a valorizar o que valoriza o usuário: dá mais destaque a sites otimizados, rápidos e com conteúdo de qualidade. 

É por esse motivo que você precisa ter sempre o seu usuário como foco do trabalho! Como? Vamos nos aprofundar um pouco mais nisso a partir de agora!

 

O usuário e suas necessidades

Se você já tem alguma experiência com marketing digital e gosta de saber sempre mais sobre a área, com certeza já leu VÁRIAS VEZES que o primeiro passo dentro de qualquer estratégia é definir um público-alvo. Ou, no mundo contemporâneo, suas personas.

Isso é essencial para você conhecer mais a fundo o seu usuário. Não apenas em relação à faixa etária, condição socioeconômica ou gênero. É preciso ir muito mais a fundo: conhecer os desejos, os objetivos, os desafios, como vive... Quase um Globo Repórter especial do seu público!

Escreva para seu usuário, não para o Google!

É com essa bíblia de informações que você conseguirá entender o que e como comunicar. É com base nisso que você conseguirá definir toda sua estratégia de conteúdo: temas, linha editorial, tipo de material, etc.

Esse é o seu maior tesouro, é o que permitirá que o seu trabalho seja o mais assertivo possível.

Mas, é óbvio... é preciso que você efetivamente use esses dados na sua estratégia! Não adianta ter um dossiê completo da sua persona e continuar produzindo conteúdos "para ranquear no Google" ou "porque eu acho interessante".

Se o seu usuário quer saber sobre um tênis azul e branco, você vai produzir conteúdo sobre tênis azul e branco! Não sobre sapato marrom, só porque é o que tem mais buscas ou porque é o seu calçado preferido.

Você precisa ter o melhor conteúdo possível sobre tênis azul e branco, com o objetivo de mostrar valor ao público e fazer com que ele opte por comprar o bendito tênis na sua loja!

Exemplo grotesco a parte, vamos seguir em frente...

 

O texto na prática

Ok, você entendeu que antes de qualquer coisa é necessário conhecer o público e saber o que o usuário deseja para poder começar a escrever. Aí você abre um documento do Word ou do Google Docs... e não sabe por onde começar, não sabe como aplicar tudo aquilo na prática.

A primeira dica é: deixe de lado aquelas regras mecânicas que você já deve ter visto em artigos e ebooks na internet. Usar a palavra-chave "X" vezes durante o texto, usar "Y" variações para cauda longa, ter "N" palavras por parágrafo, escrever "Y" caracteres em determinado post... 

Tudo isso torna o seu conteúdo engessado, igual a outras dezenas de textos e direcionado apenas para o Google.

Não se prenda a esses detalhes. Não é porque você usou a palavra-chave 8 vezes e não 12 que aquela página terá um desempenho pior nas buscas orgânicas.

Não faça de tudo e não torne o seu texto um Frankenstein só para deixar o seu plug-in de SEO com todas as luzinhas verdes. Isso não significa nada!

 

A segunda dica é: seja o mais natural possível e crie um diálogo com o seu usuário. Ao escrever seu texto, coloque-se no lugar do seu futuro leitor/público-alvo e pense consigo mesmo:

  • Esse conteúdo me seduziria? Ficaria empolgado com ele?
  • É um texto atrativo? Que dá vontade de ler até o fim?
  • Está tudo bem explicado e tira todas as minhas dúvidas?
  • Eu indicaria para um amigo e compartilharia nas redes sociais?

Se as respostas forem positivas, você está no caminho certo. Caso contrário... tente aprimorar a sua escrita e torná-la mais humana e voltada para a sua persona. Pode ser que ainda esteja mais mecânica do que deveria ou muito voltada ao que você acha bom - não o seu público. 

O segredo é fazer um texto leve e que pareça uma conversa mesmo, sempre prendendo seu leitor e trazendo coisas relevantes/interessantes para ele.

 

A terceira dica é: fique sempre de olho nas métricas e na repercussão dos seus conteúdos. Só assim, analisando os resultados, você saberá se realmente está no caminho certo e fazendo materiais certeiros.

Porque, apesar de estar produzindo textos mais pessoais e direcionados às personas, talvez ainda falte fazer um ou outro ajuste para que a sua estratégia bombe de vez! 

Por isso, veja porque um post "X" teve melhor desempenho que um post "Y" - tanto em termos de tráfego quanto em engajamento e conversões. Assim, identificando esses fatores, você conseguirá otimizar os demais conteúdos e melhorar a performance.

 

Conheça algumas ferramentas de conteúdo

Já que estamos falando sobre conteúdo direcionado e que atenda as necessidades das suas personas, então contar com algumas ferramentas pode te ajudar na hora de criar conteúdo relevante.

Para começar, uma ferramenta bastante interessante é a Atomic Writer, que faz uma análise minuciosa do seu blog e aponta quais conteúdos podem ser melhorados e quais deles são mais populares entre seu público.

Para isso, a ferramenta divide o dignóstico em: corpo, título, audiência e linguagem. Dessa forma, fica fácil você identificar o que pode ser melhorado a fim de atingir o público da melhor maneira. Isso é dividido em alguns pilares para que seja ainda mais fácil identificar o que pode ser melhorado para alcançar os resultados desejados: corpo, título, audiência e linguagem.

Mesmo conhecendo o público que você precisa atingir, muitas vezes a dificuldade está na hora de elencar conteúdos relevantes e ter ideias. O Buzzsumo é uma ferramenta que mostra conteúdos relevantes de determinados tópicos para que você encontre referências para os seus conteúdos.

Outras duas ferramentas que podem ajudar com tendências de conteúdo entre o seu público e gerar mais ideias de pautas, são a Quora e a Reddit. A primeira se intitula como um local para compartilhar conhecimento e entender o mundo, ou seja, é uma plataforma de rede social para discussões e identificação de tendências.

Seguindo a linha de tendências entre as suas personas, o Reddit é um site que concentra os tópicos mais acessados e compartilhados no mundo, identificando tendências que podem ser uma ótima forma de entregar conteúdos que realmente interessam seu público.

Essas são apenas algumas das diversas ferramentas que você pode encontrar para facilitar seu dia a dia, ajudando a criar conteúdo relevante e ainda mais focado para gerar engajamento e bons resultados.

 

 

O que é certo a se fazer?

Sabe aquele ditado que "o cliente sempre tem razão"? Ele nunca fez tanto sentido quanto agora, quando se trata de conteúdo na internet. Se você não fizer algo que agrade seu público e que esteja alinhado com seus desejos/necessidades... de nada adianta!

Você pode até chegar aos primeiros lugares do Google, mas é questão de tempo para perder essa posição se não se preocupar em fazer um conteúdo de qualidade. Porque o seu concorrente pode estar investindo nisso.

Mais do que isso, apenas estar bem ranqueado não é sinônimo de resultados. Porque se o seu usuário não se identificar, não encontrar o que precisava e não ser encantado pelo seu conteúdo... ele vai sair do seu site com a mesma velocidade que entrou e vai comprar no site do seu concorrente.

Não é uma profecia apocalíptica, é a realidade do concorrido mercado digital. E não tem jeito: ou você se adapta ou terá que se contentar em obter menos resultados do que poderia.

 

Escreva para seu usuário, não para o Google!

Por hoje, é isso! Se gostou e lhe foi útil, compartilhe o texto com seus amigos e em suas redes sociais. É uma forma de perpetuar conhecimento e, claro, nos mostrar que estamos no caminho certo e produzindo conteúdo benéfico para você.

Caso tenha alguma dúvida, crítica ou sugestão, deixe sua mensagem nos comentários abaixo. Estamos esperando seu contato.

Um abraço e até a próxima!

 

Marketing com foco em resultado